O verão é a estação do ano mais aguardada pela maioria dos brasileiros. Os atrativos são muitos: altas temperaturas, que são ideais para frequentar praias, férias da família, viagens, dias mais longos e, principalmente, maior sensação de felicidade entre todos.

Isso tudo proporciona as condições ideais para a prática de esportes. Com dias mais claros, horários livres e o corpo cheio de energia, realizar atividades físicas se torna muito mais prazeroso e, claro, o corpo e a saúde agradecem.

Precisamos praticar exercícios

Essenciais para auxiliar no bom funcionamento do nosso organismo, os exercícios físicos são muito importantes nessa época do ano. Manter o corpo parado por muito tempo pode trazer ganho de peso e outros problemas de saúde. Com as atividades você gasta a energia adquirida nas refeições, previne doenças e cuida do corpo, trabalhando todos os sistemas possíveis.

Para a estação mais quente do ano, os esportes são as atividades mais indicadas. Apostar em esportes aquáticos, na praia e/ou coletivos são uma boa ideia para se motivar a sair de casa e manter o corpo ativo, além de promover interação entre pessoas e tornar a atividade muito mais gostosa.

Os benefícios da prática de atividades físicas para a sociedade

A prática de exercícios físicos traz muito mais benefícios do que se espera. Os ganhos vão além da saúde de cada um e atingem indiretamente toda a sociedade. Estimular a população a realizar mais atividades pode ser a solução para diversos problemas que as cidades enfrentam hoje e também pode ser uma boa forma de garantir maior qualidade de vida a todos. Os benefícios indiretos para a sociedade são de grande valor.

Confira:

Controle de epidemias de doenças crônicas

Não são apenas as doenças infecciosas que têm passado por epidemias e se alastrado pela sociedade. As doenças crônicas também passaram a se tornar um grande problema para a sociedade e precisam de atenção. Doenças como diabetes, obesidade e hipertensão são alguns exemplos que podem incluir atividades físicas como tratamento e isso, inclusive, ajudaria a aliviar os custos na área da saúde.

Redução do número de acidentes de carro

Promovendo meios para que as atividades físicas sejam possíveis, como a extensão de calçadas e ciclovias, o incentivo a caminhadas e pedaladas se torna muito mais forte. Com mais pessoas se locomovendo dessa forma, menos carros e motos vão parar nas ruas e isso diminui o tráfego e a incidência de acidentes de trânsito. Além disso, com mais pessoas andando e pedalando pela cidade, os motoristas precisarão ser mais atentos, assim a direção defensiva ganha muito mais importância e efetividade.

Mais qualidade nas escolas

O estímulo à atividade física na escola vai muito além de incentivar crianças e jovens a praticar esportes. Associado às atividades, os estudos sobre o corpo e sobre a história das atividades culturais e sociais envolvidas com os esportes adquirem grande valor e transmitem muitas reflexões aos alunos. Além disso, um estudante com o corpo ativo e com energia aprende melhor e demonstra melhor desempenho nas outras disciplinas.

Menos desigualdade social

Transportes coletivos e áreas para caminhada e trânsito de bicicleta são extremamente democráticos e acessíveis a todos. Os custos para locomover-se dessa forma são muito inferiores do que utilizando carro, portanto representam economia e inclusão. Mas, principalmente, o esporte remove barreiras entre as pessoas, principalmente quando coletivo. Durante partidas de futebol, basquete ou vôlei não existe diferenças de etnia, classe, religião, gênero ou qualquer outro tipo de divisão social. Todos podem se divertir e se exercitar de forma igual e com qualidade.

Combate a poluição

Incentivando o uso de bicicletas e de calçadas para a locomoção e, consequentemente, diminuindo o número de carros e motos, os impactos também chegam na prevenção do meio ambiente, pois promovem menos poluição sonora e poluição do ar – com menores taxas de emissão de CO². Ou seja, enquanto você cuida da sua saúde, você também contribui para a saúde do planeta em que vivemos.