Como prevenir doenças

Cuidar corretamente da saúde não se baseia em somente tratar dos problemas que enfrentamos de tempos em tempos, a prática também exige uma prevenção para que os problemas não cheguem até nós. Atualmente, as causas das doenças são quase todas conhecidas e, se tradas de maneira correta, evitáveis.

É importante citar que esse fato não se aplica a todas as doenças, existem muitas delas que não temos o controle de prevenir. Entretanto, algumas práticas do nosso dia a dia auxiliam em evitar as doenças, confira-as a baixo:

Dormir bem

O sono é essencial para a prevenção de doenças e ter uma vida mais saudável.  Ele permite que novos acontecimentos e aprendizados sejam processados pelo cérebro, que cria um novo contingente de células responsáveis por combateres os mais diversos tipos de agentes cânceres e infecciosos.

Além disso, quando se tem uma boa noite de sono, as lembranças são organizada e armazenadas. O hormônio do crescimento também é produzido quando se está dormindo, esse é importante para o corpo de diversas maneiras, principalmente para formar novos tecidos em crianças, reparar os tecidos danificados (não só nas crianças, como também nos adultos) e bloquear os efeitos negativos do estresse.

Por esses e outros aspectos, pode se deduzir que o sono é de suma importância para a saúde. Ele ajuda a prevenir diversas doenças, como as cardíacas, AVC, infecciosas, diabetes, obesidade, além de oferecer suporte necessário para todos os órgãos, os deixando mais forte, o que impedi que possíveis problemas futuras causem grandes complicações.

Manter uma alimentação saudável

Evite o consumo excessivo de carne vermelha, bebidas alcoólicas e industrializados que contém muito açúcar (como o refrigerante, por exemplo), essa é uma das melhores maneiras de prevenir doenças. O sal e sódio também merece uma atenção essencial, se consumidos em excesso, podem causar problemas. É aconselhável fazer pequenas refeições ao longo do dia e manter intervalos regulares entre elas. Lanches de fast foods e alimentos que contém muita gordura também devem ser deixado de lado.

Hipertensão, diabetes, obesidade, Alzheimer e gripe são apenas algumas doenças que podem ser prevenidas com uma boa alimentação. Portanto, abuse de frutas, legumes e verduras, eles ajudarão a prevenir futuros imprevistos indesejados.

Pratique atividades físicas

Manter-se fisicamente ativo é fundamental para a prevenção de doenças. Essas melhoram a concentração e aumentam a autoestima e a disposição, o que acaba trazendo bem-estar e reduzindo o percentual de gordura e colesterol ruim.

Afim de evitar doenças como a hipertensão, obesidade e diabetes, a prática de exercícios é muito importante. Quem os pratica tem um melhor controle sobre a ansiedade, isso pelo fato de que os exercícios colaboram com a produção de endorfina, que são neurotransmissores que tem a função de proporcionar a sensação de bem-estar.

Portanto, mexa-se! Troque o elevador pela escada, leve o cachorro para passear, cuido do jardim, varra a casa, pratique esportes. Além de todos os benefícios citados, a atividade física também previne o envelhecimento precoce.

Não fique muito tempo sem tomar vacina

Infelizmente, existem doenças que não podem ser evitadas apenas por mudanças de nossos hábitos. Porém, isso não significa que essas não sejam evitáveis. Esse é o caso de algumas enfermidades que podem ser evitadas através da vacina. Ela previne o tratamento de doenças como gripe, caxumba, tétano, febre amarela, sarampo, herpes, tuberculose e muitas outras.  É importante sempre seguir as indicações do médico e estar atento às campanhas dos postos de saúde para saber quais vacinas você pode tomar para se prevenir.

Mantenha a mente ativa 

Hábitos como praticar jogos de raciocínio, leitura, artesanato, estudo, cursos livres e até mesmo uma vida socialmente ativa são exemplos que ajudam a manter a mente ativa. Essa prática é sinônimo de prevenção de doenças relacionadas a mente, como a demência e o Alzheimer, muitas vezes causadas pela velhice. A saúde não se baseia somente no bom funcionamento do corpo, ter uma mente saudável também é de suma importância, tanto quanto manter a saúde do resto do corpo.

Assim, a prática de atividades e a criação de hábitos que auxiliem no exercício mental são ótimas maneiras de evitar doenças e se manter saudável. Isso significa menos chances de perda do poder das funções cerebrais.

Cuidado com as DSTs

As doenças sexualmente transmissíveis afetam grande parte da população. Algumas prevenções podem ser feitas afim de evita-las, como limitar o número de parceiros, sempre fazer exames, utilizar camisinha e se vacinar constantemente. Esse tipo de doença é passada para outra pessoa ao ter relações sexuais e nenhum grupo está imune, você pode estar infectado, independentemente da sua raça, cor, sexo, situação econômica ou idade.

Doenças sexualmente transmissíveis podem ter efeitos graves e permanentes a saúde. Ter uma DST aumenta o risco de contrais o vírus da imunodeficiência humana, ou HIV, o que pode levar a síndrome de imunodeficiência adquirida (AIDS/SIDA).

 

As doenças, apesar de causarem uma tremenda “dor de cabeça”, podem ser prevenidas. Portanto, lembre-se sempre de cuidar do seu corpo cautelosamente, as dicas citadas ao decorrer da narrativa serão de grande auxilio.

 

Como prevenir as varizes

Nossas pernas precisam de atenção. O fato delas se tornarem nossas melhores amigas durante a vida, seja na rotina diária, durante uma caminhada ou na prática de um esporte, só nos faz ver ainda mais a necessidade que existe em cuidar delas.

O cuidado remete à prevenção. Então é preciso estar atento a todos os males que possam acometer nossas pernas. Um dos males mais conhecidos são as varizes, também chamadas de veias doentes, que podem surgir em qualquer pessoa que não se cuida. Então, saiba agora como se prevenir.

As varizes: o que são?

Antes de descobrir como fugir desse mal, é muito importante entender o que é e como é causado. As varizes são caracterizadas por um acúmulo de sangue no vaso, que se dilata e deforma, formando globos empelotados na perna.

Isso acontece quando, por algum motivo, o sangue que chega até as pernas não consegue voltar para o coração, ficando “travado”.

Os motivos que podem ocasionar as tão temidas varizes podem estar relacionados a pessoas que ficam paradas por muito tempo na mesma posição, ou seja, pessoas sedentárias, a fatores genéticos, por estar acima do peso, na gravidez, fumantes e até mesmo por causa de anticoncepcionais ou reposição hormonal, por exemplo.

As varizes ocorrem nas mulheres em torno de cinco vezes mais do que nos homens, o que deve tornar o cuidado e a prevenção ainda maiores para elas.

Por que as varizes incomodam tanto?

É preciso se prevenir das varizes por dois motivos: o estético e o da saúde.

Primeiro, porque a coloração e o aspecto das varizes, caracterizada por pequenos vasos vermelhos na fase inicial e vasos ainda mais dilatados e com coloração azulada nos casos mais avançados, não são agradáveis para nenhuma pessoa.

O fator saúde entra na questão de que as varizes podem inchar a perna e trazer sensação de desconforto e cansaço nas pernas, ou seja, por meio desse impedimento, elas podem se tornar o início de outros problemas.

Como posso me prevenir?

A prevenção passa por pequenas ações que podem ajudar a impedir o avanço das varizes nas pernas. Pessoas com o fator genético, que tenham histórico do problema na família e demais grupos de risco devem começar com o cuidado antecipado.

Uma das formas de se prevenir é evitar que outros fatores que aumentam a chance de se ter varizes aconteçam, como é o caso do excesso de peso, do tabagismo, do sedentarismo e do uso de sapatos e tênis desconfortáveis.

Tanto o excesso de peso, como o fato de uma pessoa ficar por muito tempo em uma mesma posição são riscos que podem agravar as chances de se ter varizes. Como forma a evitar este problema, é indicado que a pessoa mude sua rotina, tentando se movimentar ao máximo, principalmente na área da panturrilha que, quando contraída, ajuda o sangue a circular.

Praticar esportes é, também, uma ótima forma de evitar as varizes. Com a movimentação contínua e forçada dos membros do corpo, não há dificuldade de circulação do sangue, sem contar que, a prática de exercícios físicos vai além da prevenção das varizes, melhorando muitos outros âmbitos da saúde de qualquer pessoa.

Outra maneira de se prevenir é o uso de meias de compressão, que ativam a circulação e facilitam a irrigação do sangue na perna, que pode voltar ao coração com mais facilidade. Porém, é importante pedir a ajuda de um médico para escolher a melhor delas para você.

As mulheres acima dos 30 anos precisam de cuidado redobrado, especialmente com os anticoncepcionais, que colaboram com a aparição indesejada de varizes. Eles contêm estrogênio e progesterona, hormônios responsáveis por dilatar as veias e dificultar o fluxo sanguíneo das pernas até o coração. Com isso, é interessante notar a necessidade dobrada de evitar outros fatores que ocasionam o problema e praticar exercícios físicos.

 

Já tenho varizes. O que eu faço?

Procure a ajuda de um médico para encontrar a melhor forma de tratamento para o problema das varizes e a que mais se encaixa ao seu perfil.

Entre os tratamentos disponíveis, estão as próprias meias de compressão (que apenas diminuem o inchaço e a sensação de cansaço nas pernas), os exercícios físicos (que ajudam na prevenção do avanço do problema e de outros mais graves) e outros métodos, como o cirúrgico, onde as varizes são retiradas.

Outras formas de retirada não cirúrgicas são aplicações de laser ou de medicamentos no interior dos vasos dilatados, mas só são indicados nas fases iniciais. Para as fases mais avançadas, apenas o método cirúrgico pode tratar o problema.

Intolerância ou alergia: saiba identificar

A alimentação é fator essencial para o bom funcionamento do organismo. Com o devido suprimento nutricional, através de vitaminas, fibras e minerais, o corpo adquire, processa e mantém suas atividades celulares e cognitivas. Sendo o nosso corpo uma rede complexa e interligada de células e transmissores, a má alimentação ou deficiência de alguma vitamina resulta em alterações orgânicas e nutricionais que prejudicam a saúde biológica e também mental.

A falta de nutrientes e vitaminas pode acarretar em cansaço, dores, mal-estar e desencadear doenças, como é o caso da anemia e insuficiências vitaminares. Mas, ainda que a alimentação seja bastante equilibrada, buscando integrar os elementos essenciais ao organismo, muitas vezes há outros fatores que podem ocasionar doenças ligadas aos alimentos, que prejudicam o funcionamento e as repostas do corpo, provocando inflamações e reações alérgicas, por exemplo.

Basicamente, as alergias são reações do sistema imunológico ao alimento ou a alguma proteína presente nele. Já a intolerância é uma reação química do organismo, onde não há a capacidade de digerir algum componente da alimentação, causando respostas imunológicas do organismo àquela substância.

 

Alergia alimentar

As alergias podem se manifestar sob vários alimentos e desencadear sintomas diversos, entre eles desordens na pele, no sistema gastrointestinal e respiratório, que podem levar à anafilaxia.

As alergias alimentares geralmente apresentam reações imediatas do corpo ao contato com o alimento ou alergênico. Ao haver interação com o organismo, o alimento desencadeia uma exagerada reação e pode ter variações de tempo para se estabilizar novamente, necessitando que, a partir da identificação do alimento causador da alergia, ele seja eliminado da alimentação.

Geralmente, as alergias alimentares se apresentam na infância e, com o desenvolvimento do organismo durante o crescimento, podem desaparecer. Com a capacidade de criar imunidade aos agentes durante a infância, é possível que sejam feitos testes e exames com intervalos de meses para averiguar a persistência da alergia.

intolerancia-alimentar

Num organismo saudável, o sistema imunológico consegue fazer a distinção desses três tipos de agentes e processá-los da melhor forma. Por exemplo, quebrando moléculas da alimentação, processando e enviando os nutrientes às devidas células, ou organizando a produção de anticorpos para combater bactérias, vírus ou demais corpos que invadiram o organismo.

A intolerância se caracteriza quando o organismo não possui enzimas necessárias para digerir os alimentos ou determinados componentes dele, com efeitos mais lentos e a longo prazo. Nesse sentido, as intolerâncias podem ser consideradas acumulação ou envenenamento do organismo pelo alimento, gerando respostas e reações autoimunes. Em geral, as intolerâncias causam danos gastrointestinais, prejudicando a absorção de nutrientes, a regulação do fluxo intestinal, anemias, além de uma série de fatores que estão relacionados, como enxaquecas, cansaço, depressão, reações cutâneas, entre outras.

As intolerâncias não possuem medicação e devem ser tratadas com a eliminação do agente alimentar para que o organismo volte a estabelecer o bom funcionamento. Em alguns casos, onde o diagnóstico é tardio ou as dietas não são seguidas, os danos causados ao organismo podem ser permanentes.

Lactose e glúten: famosos por emagrecerem, mas vilões dos intolerantes.

Ainda que a intolerância à lactose e ao glúten, hoje, estejam em maior evidencia, sobretudo graças às dietas para emagrecimento e reeducação alimentar, ainda é bastante difícil estabelecer o diagnóstico da intolerância devido à falta de conhecimento.

intolerancias-lactose-e-gluten

Diferente da alergia à proteína do leite, a intolerância é causada pela incapacidade de o organismo digerir a lactose pela falta da enzima Lactase. Já a doença celíaca ou intolerância ao glúten, que é um pouco menos conhecida, e as classificações quanto às proteínas do glúten podem ser Doença celíaca, que é uma intolerância permanente à absorção de proteínas como trigo, aveia, centeio ou cevada, gerando uma resposta autoimune, onde o organismo ataca as próprias células. Ou alergia à proteína do glúten, também chamada de alergia-não-celíaca, que é uma incapacidade no processo de quebra e digestão molecular, causando sintomas adversos ao organismo e prejudicando o sistema gastrointestinal, mas sem apresentar alterações nos exames laboratoriais.

 

Como Identificar

As intolerâncias possuem exames específicos e o diagnóstico é feito na alteração das taxas e níveis dos testes histológicos e imunológicos, que podem ser de fezes, de urina, de sangue e biópsia intestinal. O diagnóstico deve acompanhar a série de exames para que sejam identificados níveis e graus de intolerância. Já as alergias podem ser diagnosticadas através de exames cutâneos, de sangue e através da dieta de exclusão de alimentos suspeitos.

 

Como Tratar

No caso de diagnosticada a alergia, ou intolerância ao alimento, ou proteína, o tratamento segue partindo da exclusão e substituição dele no cardápio. Hoje, há variedade alimentar para atender aos alérgicos, intolerantes e celíacos, proporcionando uma alimentação adequada sem afetar o organismo.

Os sintomas como desconforto abdominal, má digestão, dores de cabeça, intolerâncias, erupções cutâneas, taquicardia e dificuldade de respiração tendem a diminuir com a adaptação do cardápio. Já a perda das vilosidades intestinais causada pelo consumo de glúten nos casos celíaco e intolerante, tendem a demorar mais tempo para serem totalmente cicatrizados, retornando à absorção completa e efetiva de nutrientes.

 

Pergunte ao médico

Tem dúvidas sobre resistência, frequência cardíaca, alimentação, suplementos ou gostaria de dicas para melhorar e deixar o seu treino de corrida mais eficiente?

Este espaço foi criado, justamente, para isso. Um lugar para que você interaja e pergunte ao médico tudo o que estiver relacionado à atividade de corrida. Fique à vontade para perguntar, pedir informações, questionar e contar experiências pessoais. Queremos te ajudar ainda mais a ter uma boa corrida!

Pergunte ao nutricionista

Tem dúvidas sobre metabolismo, alimentação, suplementos ou gostaria de dicas para perder peso?

Este espaço foi criado justamente para que você interaja e pergunte ao nutricionista tudo o que estiver relacionado à alimentação e perda de peso. Fique à vontade para perguntar, pedir informações, questionar e contar experiências pessoais. Queremos te ajudar a levar uma vida mais saudável!