Evite lesões musculares com o Foam Roller

O Mundo Fitness está sempre repleto de novidades. A maioria das técnicas e equipamentos surgem em países como os Estados Unidos e outros países da Europa. Só depois são importados para o Brasil por profissionais de educação física ou até mesmo empresários e investidores deste mercado.

Uma novidade que está sendo cada vez mais utilizada por atletas amadores e profissionais brasileiros são os exercícios feitos com Foam Roller. Resumidamente, o aparelho propõe o alongamento completo do corpo através de uma técnica de automassagem, conhecida como “auto liberação miofascial”.

No texto de hoje vamos falar sobre este acessório e como o seu treino pode trazer muitos benefícios para o corpo, otimizando o seu desempenho na corrida e em outras modalidades. Venha conferir!

Continue lendo

Você pisa corretamente ao praticar exercícios físicos?

Não é apenas o tênis, os seus pés ou a maneira como você pisa. A pisada diz muito sobre você e se está fazendo bem ao seu corpo, mais especificamente, ao seus ossos e articulações.

Quer saber como você pisa?

É só pedir para um amigo te mostrar como você caminha. Ele vai precisar ser sincero e dizer se você pisa torno ou dá passos muitos largos. Para ser mais fácil ainda, observe a sola de alguns pares de sapatos antigos e veja onde está mais desgastado ou menos gasto. Isso pode te mostrar onde se está recebendo mais ou menos peso. Continue lendo

Recupere-se de lesões com a Kinesio Tape

Você já ouviu falar do Kinesiology Tape? O nome complicado nada mais é que uma fita elástica desenvolvida com base na cinesiologia, o estudo do movimento. Ele trabalha como um tratamento terapêutico, ajudando a acelerar a recuperação sem limitar os movimentos.

Pode ser usada durante ou após os treinos, comum em corredores que tem lesões como fascite plantar e joelho de corredor. Para saber se a fita é recomendada para sua lesão, consulte antes um ortopedista ou fisioterapeuta para uma avaliação.

Em caso de fascite plantar, use a fita para dar apoio ao arco do pé, aliviando a dor. Joelho de corredor, você pode usar a fita para diminuir a tensão sobre o tendão patelar, colando a fita sob o tendão.

Descubra quais são as falhas de movimento e evite lesões

A corrida envolve todo o corpo, por isso, cada movimento que você faz merece atenção. Você sabia que toda vez que dá uma passada, seu joelho recebe quase 3 vezes o peso do seu corpo? Se os músculos e/ou articulações estiverem trabalhando de forma incorreta, as lesões por esforço repetitivo e fraturas por estresse podem aparecer.

– Se o corredor faz muitos movimentos verticais com o joelho, “corre pulando”, ou dá passos muito grandes o esforço é redobrado e o impacto ainda maior.

– Overstriding, ou a passada muito longa: os corredores acham que ao dar uma passada longa vão correr mais rápido. No entanto, isso apenas desperdiça energia. Correção: certifique-se de aterrissar seu pé abaixo do corpo, mantendo os movimentos laterais dos braços curtos também.

– Curvar as costas: ao balançar demais os braços, os corredores tendem a curvar as costas, fazendo a respiração ser ineficiente. Correção: tente manter sempre os braços na altura da cintura, ombros retos e nivelados. Quando estiver cansado e perceber que está relaxando a postura, coloque o peito pra fora e evite tensões musculares.

Outras falhas devem ser identificadas através de avaliações e corrigidas com exercícios de fortalecimento de musculatura. Cada corredor precisa de exercícios específicos para seu tipo, poupando articulações e músculos de lesões mais graves.

 

Lesões na Corrida: evite a fascite plantar

Você ama corrida de rua? Pois saiba que a Fascite, conhecida também por fasceíte, é uma das lesões mais comuns pelos corredores. Afinal, quem corre na rua está sujeito às variáveis do solo, pedras, desnivelamento, entre outros.

A fascite plantar é sentida através de uma fisgada na planta do pé, que possui uma curvatura natural. Na fascite, essa região está inflamada e sobrecarregada, pois precisa se adaptar às condições do solo e aguentar a carga. Exercícios em excesso, estar acima do peso, calçado inadequado são uns dos fatores que podem levar à fascite.

O recomendado nestes casos é consultar um médico, pois a fascite pode “voltar”, dependendo do formato do pé, a pisada, entre outros. Outro ponto importante é não confundir fascite plantar com tensão muscular, cujo tratamento é outro, sendo mais fácil de resolver. Para a fascite, é necessário moderar nos treinos e consultar um médico para a receita de medicamentos.